Necessidades Educativas Especiais & Intervenção Precoce

“Encontramo-nos num período, em que cada vez mais, o número de crianças e famílias que necessita de cuidados e repostas especificas aumenta. Torna-se assim essencial que os técnicos que partilham a sua vivência, estejam, cada vez mais, preparados para reconhecer, avaliar e integrar estas crianças e famílias nas nossas e nas suas rotinas diárias.

Todos os dias nos é solicitado, a nós técnicos, nos nossos inúmeros contextos profissionais (saúde, educação ou outros), que estejamos preparados para intervir com estas crianças e suas famílias, com a mesma responsabilidade e qualidade com que o fazemos para todas as outras. Para tal, o conhecimento, das características específicas de cada situação, das diferentes formas de intervir, da rede de suporte existente é fundamental”                                                                                                           

(Cátia Matos)

 Destinatários: Profissionais que necessitam de intervir e interagir dentro desta temática, tais como técnicos de saúde (médicos, psicólogos, técnicos de serviço social), professores e educadores.

 Local: Lisboa, Restelo -  PH Mais


 

Objectivos

Programa

  

Necessidades Educativas Especiais

&

Intervenção Precoce

 

Formador: Cátia Matos*

 

  

Calendarização:

16, 23 e 30 de Março de 2012

(9h30 – 17h00)

 

 Investimento: €120

20% de desconto para Associados APTEFC, APS, ou para participantes de outras acções do Núcleo de Formação Sistémica

 

 

 

 

 

 

 

4   Conhecer a realidade Portuguesa dentro da temática da Intervenção Precoce e das Necessidades Educativas Especiais.

 

 

 

4   Adquirir conhecimentos e desenvolver competências para intervir com famílias, crianças e outros profissionais em situações de Necessidades Educativas Especiais

 

   A Infância e a deficiência: contexto histórico e social - A etapa educativa da segregação à inclusão


 Intervenção Precoce em Portugal: Realidade nacional – legislação aplicada, critérios de elegibilidade.


Etapas do Processo de Intervenção:

4 Diagnóstico e/ou sinalização

4 Impacto do diagnóstico - modelos de comunicação de más noticias

4 Despistagem ou sinalização das NEE.

4 As classificações das Necessidades Educativas Especiais


  Abordagem Centrada na Família:

4 Evolução dos modelos de trabalho com famílias.

4 Princípios centrados na família – preocupações e necessidades das

famílias, forças e capacidades das famílias.

4 Avaliação e intervenção centrada na família.

4 Plano Individual de intervenção.


 A intervenção em Intervenção Precoce na Infância:

4 A multidisciplinaridade das equipas

4 As parcerias e o trabalho em rede


 Metodologias de Intervenção e Instrumentos

4 PEI, PIAF e CIF


  Estudo de caso

























  * Cátia Peres de Matos é licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Membro da equipa de investigação do Projecto “Intervenção Precoce: Construção de Boas Práticas”, financiado pela Fundação  Calouste Gulbenkian Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano, com a duração de 5 anos. Membro do Núcleo de Investigação da Associação Portuguesa de Estudos e Intervenções em Psicologia Positiva. Membro da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. É co-autora das seguintes publicações:

 4   Os nossos filhos são ...diferentes – como podem os pais lidar com uma criança com deficiência” (2009), Fundação Calouste Gulbenkian Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano

 4   E quando atendemos crianças ...diferentes – como podem os profissionais orientar famílias com criança com deficiência” (2010), Fundação Calouste Gulbenkian Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano

 4   Crianças diferentes – Intervenção Precoce, o processo de construção de boas práticas”, Fundação Calouste Gulbenkian Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano